Feliz domingo pra você

Cris Ituassu | arquivo pessoal

Feliz domingo pra você, que idealizou uma maternidade toda perfeitinha, linda como na foto

mas deu de cara com a maternidade da vida real, aquela que poucas te contam.

A de noites em claro e aperto no coração, de birras e cansaço, muitas perguntas e poucas certezas.

A maternidade descabelada, de olheiras, exausta e angustiada.

Aquela que dá colinho e dá sermão, faz para casa, brinca junto, ri, solta pipa e anda de bike

mas também que toma tempo, custa grana, limpa vômito e tantas outras coisas menos nobres.

Que leva a gente ao limite e nos faz abrir mão de antigas prioridades.

Que põe em xeque sua visão de mundo e seus preconceitos.

A que te torna professora de logística e gênio em administrar o tempo.

A maternidade de cantar no carro, fazer palhaçada e contar história antes de dormir.

Que muita gente julga, enquanto poucos se dispõem a ajudar.

A que bagunça sua casa, seu corpo e sua vida, mas que vale a pena apesar e por causa de tudo isso.   

A maternidade que te traz um filho do jeitinho dele, que você precisa aprender a respeitar em vez de tentar torná-lo uma cópia aprimorada de você mesma.

Aquela com cheirinho de neném, bochechas macias e pezinhos de pão de forma.

A que te faz esquecer de você por algum tempo, até perceber que é uma pessoa e uma mãe melhor se também olhar pra si e para o mundo a seu redor.

A maternidade que vem junto com a culpa por estar fazendo pouco, a culpa por estar fazendo muito, e o medo de fazer tudo errado

mas aquela que te ensina a cada dia, a todo momento. 

Que te deixa mais forte e te transforma numa leoa.

A que te fazer aprender e tentar ser melhor, porque exige mais exemplos e menos discursos.

A maternidade de dormir de conchinha, de cafuné no cabelo, de beijos e abraços infinitos…

De dançar na sala domingo de manhã e dar gargalhada de tanta cosquinha.

De perceber que estar vivo é um presente, e que poder ser o porto seguro de alguém tão especial é outro.

A maternidade que, com esse mix todo, é simplesmente o desafio mais sensacional que a vida já me proporcionou:

o de educar alguém para o bem, num mundo como o de hoje

e saber se fazer desimportante para a pessoa que é a mais importante da sua vida.

Cris Ituassu

Casada com o Adriano, com que teve o Theo e o Dan. Maravilhada com muita coisa, inconformada com tantas outras. Adora gente e todas as complicações daí decorrentes. Acredita que qualquer mudança só pode acontecer pelo afeto, e nada como a arte pra tocar os corações. Então escreve de vez em quando, na expectativa de por pra fora angústias ou esperanças e, quem sabe, tocar alguém.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.