Mulher Invisível

Foto | Verne Ho


Os gritos saíram em forma de palavras datilografadas

E o sentimento: tremedeira nas mãos

As palavras que eu disse já foram

Foram embora com o meu coração

Eu que sempre reluzi em neon

Virei mulher de cor pastel

Para você eu sou até mulher invisível

Mas atuo mal nesse papel

Posso gritar, espernear, correr

Posso chorar, conversar e entender

O que eu não consigo é ser vista

E o que você não consegue é compreender

Giovanna Ghersel

Nasceu com o sexo feminino, mas demorou 24 anos para se tornar mulher. Tem um relacionamento estável com o direito, mas já pulou a cerca com o jornalismo por um tempo. Aprendeu que prefere escrever sem pressão e que o feminismo é uma prática diária. Descobriu que as mulheres têm direito a sentir mais sono que os homens, porque lutar contra o patriarcado todos os dias é, no mínimo, exaustivo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.