A boazinha de cabelo pink

Foto | Isaiah Rustad

“Você deixa sua filha pintar o cabelo?” Não só deixo como, após conversar e ter certeza que é o que ela deseja, a levo para fazer em um local responsável.

“Mas não tem nada a ver com ela! Uma menina tão doce, tão educada!” Sim, uma menina doce, educada, com um dos maiores corações que conheço, um coração capaz de pedir para um professor diminuir sua nota porque a amiga do grupo trabalhou igualmente com ela e só se viu nervosa na hora de apresentar, um coração que sente intensamente e com profunda empatia a dor do outro, um coração repleto de amor puro. E que, por isso, muitas vezes foi encerrada no rótulo de “boazinha”, no sentido de a que tudo entende, com a boazinha tudo pode.

Seus cabelos rosa pink são uma forma de expressar para o mundo que “a boazinha” também tem seu lado fogo, que “a menina boazinha” pode e deve ser brava quando necessário! Essa aparente antítese entre uma voz extremamente doce e cordial e seus cabelos pink representam cada uma de nós! Em nossas lutas por nosso espaço, em nosso direito de dizer não, em impor limites!

Ela terá seus cabelos pink até perceber em seu íntimo que ela É essa força, que a despeito de uma aparência suave, ela também pode (e deve) afrontar, lutar, se impor!

A quem interessar possa, ela tem curtido dar boas cortadas nas pessoas que vêm com questionamentos “engraçadinhos” sobre seu novo visual. E eu adoro ouvi-las!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.