Nem machismo, nem feminismo?

Foto | Matheus Ferrero

Esta é uma sentença comumente proferida por mulheres e homens que não querem se envolver com as demandas da agenda feminista atual. Ou ainda pelos que acham que o feminismo não é (mais) necessário. Mas será que essa ideia faz sentido?

Vamos por partes. O que é machismo? Machismo é um sistema de opressão que coloca tudo que é masculino como superior ao feminino. Machismo é um modo de ver e viver o mundo em que os homens detêm direitos e oportunidades que as mulheres não têm. Machismo é homem ganhando mais do que mulher para desempenhar a mesma função. Machismo é impedir as mulheres de escolherem livremente quantos filhos querem ter (incluindo nenhum) e que profissão querem seguir. Machismo é o que está por trás de uma cultura que naturaliza a violência contra a mulher, seja ela psicológica, física, patrimonial ou sexual. Machismo é o que permite que a cada 11 minutos uma mulher seja estuprada no Brasil. Eu poderia ficar o dia todo descrevendo o que é machismo, mas acho que deu pra entender né?

Então a parte do “nem machismo”, estamos de acordo? Ninguém quer ou deveria querer o machismo. Nem mesmo os homens. Beleza? Mas e o “nem feminismo”?

Vamos de novo ao beabá da coisa. O que é feminismo? Feminismo é um movimento que luta pela igualdade de direitos e oportunidades entre homens e mulheres. Feminismo é não encerrar as mulheres à maternidade e ao lar, caso elas não queiram. Feminismo é permitir que mulheres sejam parlamentares, astronautas ou bombeiras. Feminismo é dividir igualmente com os companheiros as tarefas domésticas e o cuidado com os filhos. Feminismo é uma ampliação dos papeis de gênero para que homens possam chorar e ser sensíveis, caso queiram, e para que mulheres possam ser duronas e fortes, caso o desejem. Feminismo é uma luta pelo fim da violência contra a mulher. Feminismo é viver em um mundo em que não são necessárias delegacias da mulher ou casas para receber mulheres que fogem de seus companheiros agressores. Feminismo é um sistema milagroso em que meninas não precisam ter medo de andar na rua à noite.

Se não ficou claro ainda, deixa eu parafrasear Margaret Atwood sobre o estágio do mundo em que vivemos:

Homens têm medo de que as mulheres vão rir deles. Mulheres têm medo de que os homens vão matá-las.

Então será que a parte do “nem feminismo” faz sentido? Minha sensação é que muitas pessoas ainda confundem essa palavra e acham que feminismo é uma espécie de supremacia feminina. Que as mulheres vão assumir a presidência de todos os países e de todas as corporações do mundo e que os homens vão viver sob chibatadas para nos servirem sexualmente. Gente, não é isso. E, só pra constar: a supremacia das mulheres sobre os homens tem até nome, é o femismo. E isso não é feminismo.

Então dá próxima vez que você ouvir essa frase, não deixe passar em branco, não perca a chance de explicar que feminismo é sobre igualdade. Apenas isso.

Nem machismo, nem feminismo? Feminismo sim. meu amor!

Nicole Spohr

Fundadora e editora do FF, mãe do Guto e pesquisadora. Andou meio mundo pra fazer uma tese de doutorado que valesse a pena, mas foi a maternidade que virou sua vida de cabeça pra baixo. Entendeu que mulheres, juntas, têm muita força. E que podem transformar o mundo. Acredita que vale a pena batalhar por crianças feministas e por direitos humanos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.