Por que parar de comer carne?

Tá aí uma pergunta que todo o vegetariano escuta ao longo de sua jornada sem carne. E que, aliás, muita gente tem se perguntado nos últimos tempos. Não é à toa, porque esse assunto nunca esteve tão em alta. Mais que uma mudança de hábito e um novo estilo de vida, se trata de uma tendência de mercado.

Mas, afinal, por que parar de comer carne?

Bom, antes de eu me aprofundar no assunto, dá uma espiada em alguns números que eu trouxe do Vista-se, o maior portal vegano da América Latina:

Se você parar para pensar, quando paramos de comer carne (ou, pelo menos, diminuímos seu consumo), impactamos positivamente três aspectos que, para mim, são igualmente importantes:

  1. Sobrevivência do planeta;
  2. Saúde do corpo humano;
  3. Vida dos animais.

Vou falar um pouquinho sobre cada um deles. Continua comigo 🙂

O PLANETA AGRADECE

Segundo o Greenpeace:

Atualmente, a produção de carne emite o mesmo volume de Gases do Efeito Estufa (GEEs) de que todos os carros, caminhões, aviões e navios do planeta juntos.

Sim, os puns das vaquinhas são matadores e, se não forem controlados, serão os grandes responsáveis por mudanças climáticas extremas no planeta. E isso é coisa de pouco tempo, viu? Uns 50 anos no máximo. Ou seja, muitos de nós estaremos aqui para ver.

Daí você vai me perguntar: “Mas então tem que comer as vaquinhas, certo?”. Sabe a lei da oferta e da procura? Pois é, quanto mais gente querendo consumir carne, mais produção vai ter e o ciclo nunca vai acabar, capitche?

Sem falar do desmatamento das florestas para criar esses pobres animais ou das enormes plantações de soja para alimentar esses bichinhos (sim, eles comem mais grãos do que todos nós juntos).

Tem, ainda, as péssimas condições de trabalho na produção pecuária (não generalizando, é claro) e a retirada de povos indígenas e comunidades para a expansão de área produtiva.

 São muitos motivos, você não acha? E ainda tem mais.

SEU CORPO AGRADECE

Muitos males modernos vêm comprometendo a saúde do corpo humano, sendo que muitos deles estão associados ao consumo da carne. Doenças cardíacas, aumento do colesterol e câncer são exemplos disso. E os embutidos e carnes gordurosas são os piores elementos, muito mais prejudiciais que a própria carne vermelha.

Temos, inclusive, o endossamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) que reconhece que a carne pode causar câncer, e do Ministério da Saúde que considera a alimentação vegana saudável. Bacana, hein?

Porém, muito cuidado! Se você decidir cortar, de vez, a carne da sua alimentação, não seja irresponsável.

Faça um acompanhamento com um profissional especializado no tema, porque mesmo que você se torne vegetariano/vegano, isso não quer dizer que você se tornará automaticamente saudável. E isso serve para qualquer tipo de dieta, mesmo as que ainda mantêm a carne no cardápio, viu?

OS ANIMAIS AGRADECEM

Quando uma pessoa presencia o abatimento de um animal, dificilmente conseguirá comê-lo depois. Se você pensar no processo que faz a carne chegar ao seu prato, pararia imediatamente de consumi-la.

Grande parte de nós prefere vida em detrimento da morte. Então, quero apostar que nenhum de nós quer ver um ser senciente sofrer, certo?

Sei que parece apelativo, mas só parece porque a cultura da carne está enraizada em nós desde os primórdios. Mas ainda bem que a humanidade está sempre evoluindo. Imagina se convivêssemos com a escravidão até os dias hoje? Inadmissível, não é verdade?

E para quem me pergunta: “Nem peixe?”. Sim, nem o pobre coitado do peixe, que por não ter expressão acaba sendo o último a ser cortado do prato. Os habitantes do mar são, também, seres sencientes, ou seja, possuem sistema nervoso e sentem assim como os cachorros, gatos, porcos e vaquinhas.

MAS O QUE COMER ENTÃO?

Não sou nutricionista e, por enquanto, não pretendo ser. Mas, o que sei, posso (e devo) compartilhar com quem está cogitando parar de comer carne.

Primeiro, a proteína. Gente, ela está presente em muitas leguminosas: feijão, grão de bico, lentilha, ervilha e por aí vai. É só questão de fazer novas descobertas gastronômicas.

Hoje em dia tem leite, queijo, chocolate e milhares de gostosuras sem conter sequer um derivado animal.

E não precisa gastar muita grana não, viu? Um prato de arroz, feijão e saladas vai muito bem, obrigada!

Anibia Machado

Historiadora que escreve, faz magia com os dados e encanta nos palcos. E tem mais: não come bichinhos e só compra o necessário para poder viajar mais e mais. Tem a missão de inspirar as pessoas a compreenderem as diferenças, para que junto possamos ser livres para sermos diferentes! No Instagram: @anibiams.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.